sábado, 28 de fevereiro de 2009

Supermotard







Ai esta ela! o começo de um sonho... finalmente comecei a transformação de uma Cagiva" careta" em uma supermotard... aros 17" em alumínio dourados e pintados com preto vinilico deixando somente a beira na cor.
Pneus Pirelli Superdemon 110X70X17" e traseiro 150X60X17" verdadeiros chiclets no asfalto! Essas fotos foram feitas são exatamente quando terminei de montar ! Espero que gostem ! Vou passar manteiga no pão! Prometo fotos no local adequado.. a estrada. Abraços a todos !

quarta-feira, 25 de fevereiro de 2009

Frase do dia...

Antes de falar, escute. Antes de escrever, pense. Antes de gastar, ganhe.
Antes de julgar, espere. Antes de rezar, perdoe. Antes de desistir, tente.

domingo, 22 de fevereiro de 2009

Preocupante


Físico afirma que aquecimento global afeta rotação da Terra
da Efe, em Madri
O aquecimento global é um dos fatores que influencia a desaceleração da rotação da Terra, mesmo que muito ligeiramente, devido ao aumento do nível dos oceanos pelo degelo dos pólos, o que está afetando as marés e as forças de atração gravitacionais com a Lua.
Em entrevista à agência de notícias Efe, o astrofísico do Goddar Space Flight Center da Nasa (agência espacial americana) Fred Spenak, um dos maiores especialistas em eclipses no mundo e autor de vários trabalhos para a previsão destes, explicou seu trabalho sobre a questão.
Outro dos fatores que, segundo o especialista, está influenciando nesta desaceleração da Terra, cuja rotação não possui um ritmo constante, e que se resolve em termos práticos a cada período de tempo com o ajuste dos relógios atômicos, tem a ver com a composição interna do planeta.
O centro da Terra abriga um líquido quente que faz com que, na rotação, ocorram espasmos arrítmicos, como se fosse um "ovo cozido sacudido, no qual a gema se movimentasse repentinamente de um lado a outro", e isso influiria nas forças de atração gravitacionais.
Spenak dise que o cálculo preciso da velocidade da Terra em sua rotação é uma das chaves para prever os eclipses, um fenômeno transcendental para os cientistas.
O astrofísico destacou "não só a beleza visual" dos eclipses solares, mas também "a valiosa ferramenta que representam para o estudo dos mistérios que perduram em torno da composição do Sol".

quinta-feira, 19 de fevereiro de 2009

Espaço...




A sonda espacial Phoenix pode ter captado as primeiras imagens de água líquida durante sua aterrissagem em Marte em 25 de maio de 2008, de acordo com alguns membros da equipe responsável pela missão. Segundo a controversa interpretação, gotas de água teriam respingado em um dos suportes inferiores da nave enquanto ela pousava em solo marciano. O estudo foi publicado na edição desta quarta-feira da revista científica New Science.
De acordo com os especialistas, as misteriosas manchas que atingiram a sonda cresceram com o passar das semanas. Para os cientistas, o líquido se trata especificamente de água salgada e foi aumentando ao absorver vapor de água da própria atmosfera do planeta.
A hipótese pode ser sustentada pela descoberta anterior de sais de perclorato no solo, uma vez que a substância é capaz de manter a água líquida em temperaturas abaixo de zero. Os defensores da teoria consideram que, com o efeito anticongelante provocado pelo perclorato, seria possível existir água líquida em grandes quantidades abaixo da superfície de Marte.
A pesquisa foi realizada por 21 estudiosos da Nasa, agência espacial americana - entre eles, o chefe da missão Phoenix, Peter Smith, da Universidade do Arizona, e Nilton Renno, da Universidade de Michigan. O estudo será apresentado em março durante a conferência de Ciências Lunares e Planetárias em Houston, no Texas.
O local onde a Phoenix pousou é muito frio para a água pura existir na forma líquida - a temperatura nunca ficou mais quente do que -20ºC durante os cinco meses de missão.
No entanto, para os cientistas, a água salgada pode continuar líquida em baixas temperaturas, até porque os sais de perclorato identificados na região teriam um efeito anticongelante especialmente forte. Ou seja, uma grande mistura de água salgada e perclorato poderia ficar em estado líquido em temperaturas de até -70ºC, avaliaram os pesquisadores.
Conforme o estudo, se o perclorato está disseminado em altas concentrações no planeta, então bolsões de água líquida poderiam ter se formado abaixo do solo marciano. "Segundo nossos cálculos, pode existir água salgada em forma líquida no subsolo de todo o planeta vermelho", assegurou Renno, principal responsável pelo estudo. O cientistas diz que a imagem captada pela Phoenix representa a primeira evidência direta de que a teoria está correta

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2009

Meio ambiente

Para os ecochatos essa não é uma boa notícia mas para os ambientalistas sim...
Cenpes ( Petrobras) realiza primeiro estudo de injeção de CO2 em campos de óleo pesado offshore
Como alternativa para utilização do índice de CO2 presente no gás natural do pólo pré-sal, o Cenpes realizou o primeiro estudo de injeção de dióxido de carbono em campos de óleo pesado. O campo escolhido para os testes foi o de Tambuatá, localizado a 3 mil metros de profundidade, em lâmina d'água de 1800 metros, na bacia de Santos, que possui óleo pesado de 16 graus api. Os ensaios foram realizados pelas gerências de Tecnologia de Recuperação e Análise de Reservatórios e de Geoengenharia de Reservatórios.
Com uma amostra de fluido retirada de um poço do reservatório de Tambuatá, os técnicos determinaram os parâmetros físico-químicos do óleo e a sua composição. No Laboratório de Comportamento de Fases (PVT), os dados de interação entre o CO2 e o óleo foram obtidos experimentalmente. Já em um laboratório da Universidade Unifacs, de Salvador, num equipamento Rising Bubble Aparatus (RBA), adquirido através de um convênio com a Petrobras, foi realizado um ensaio de miscibilidade, para determinar a pressão mínima em que uma bolha de CO2 ascendente consegue entrar em solução no óleo, quando já não existe uma separação líquido/gás.
Segundo o consultor técnico da gerência de Tecnologia de Recuperação e Análise de Reservatórios (PDP/TRA) Alexandre Vieira, o CO2 influencia de forma significativa as propriedades do fluido de reservatório. "O dióxido de carbono provoca um aumento de volume ao se misturar com um óleo pesado e, assim, há uma redução na viscosidade. Esses fatores contribuem para que seja produzido mais óleo e o CO2 injetado permanece retido no reservatório", explicou.
Com as informações consolidadas, a equipe ajustou modelos matemáticos para alimentar simuladores de escoamento em meio poroso, buscando melhorar o processo de injeção de CO2. Foram testadas diferentes configurações de poços no campo e diferentes vazões de injeção de dióxido de carbono, avaliando a quantidade de óleo recuperada do reservatório e a quantidade de CO2 retida.

Superbike

BMW divulga primeiras imagens da S 1000 RR
Motocicleta será utilizada no Mundial de Superbike e alcança 200 cv de potência


A arma da marca alemã está definitivamente pronta. Depois de muita expectativa sobre como seria o modelo final da esportiva, finalmente temos as imagens da motocicleta e suas especificações técnicas. Os responsáveis por pilotar a BMW S 1000 RR no Superbike 2009 serão Troy Corser e Rubén Xaus, integrantes da equipe BMW Motorrad Motorsport.
Os dois estão se preparando para treinar com a esportiva no circuito de Philip Island, na Austrália, para os ajustes finais antes do início das provas. A máquina está equipada com um motor de 4 cilindros em linha, DOHC, 16 válvulas, de 999 cm³, seguindo o estilo japonês.
O propulsor é capaz de alcançar 200 cv de potência a 14 000 rpm. A S 1000 RR pesa 162 kg e possui tanque de combustível de 23 litros. A distância entre-eixos é de 1 428 mm, enquanto tem 2 056 mm de comprimento e 532 mm de largura. As medidas das rodas são: 16,5” (dianteira) e 16” (traseira).

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Preocupante


Ártico "deixará de existir" em duas décadas, diz grupo
EDUARDO GERAQUE da Folha de S.Paulo, em Chicago
O atestado de óbito do Ártico está assinado. Nas próximas duas décadas, a região, pelo menos na forma como ela é conhecida hoje, deixará de existir.
Por causa do aquecimento global, uma reação em cadeia já é percebida todos os anos na região, afirmaram especialistas em ciência polar reunidos ontem em Chicago, na 175ª Reunião Anual da AAAS (Associação Americana para o Avanço da Ciência). Nada indica, dizem eles, que se trate de um mero ciclo passageiro. A temperatura na região norte do globo pode aumentar em até 7º C até o meio deste século.
"Teremos um verão sem gelo no Ártico em 2030 ou antes disso", calcula Mark Serreze, da Universidade de Colorado (Boulder). Segundo o pesquisador, o que tem acontecido recentemente em toda a área já pode ser explicado pela ciência.
Enquanto o ar próximo à superfície marinha aquece, causando o derretimento da camada de gelo sobre o mar --e também sobre a terra--, o oceano Atlântico, que também está mais quente, tem jogado esse calor para o norte.
A consequência é que esquenta tanto por cima quanto por baixo, explica Serreze. E isso é que tem causado a diminuição do gelo em toda a região, com números recordes nos últimos verões principalmente.
Com menos gelo, a preocupação com uma certa ocupação da região ártica também deve aumentar, disse Serreze durante sua conferência.
Para ele, pode aumentar não apenas a navegação em toda a área --e nos últimos anos algumas rotas antes bloqueadas por gelo ficaram navegáveis-- como a exploração de petróleo. E, sobre isso, também existem vários projetos em curso, principalmente nos Estados Unidos.
Todo cuidado é importante, disse o cientista, porque na verdade o "Ártico está mais quente em todas as estações do ano, não apenas no verão".
A questão, se passa pelo problema do urso-polar e de toda a fauna, é muito mais ampla que isso, disse Serreze. "Já temos problema de erosão costeira em algumas zonas. Sem gelo, o vento movimenta mais a água."
Ciclo de carbono
A mudança de comportamento registrada em todo o Ártico é tão crítica, na visão do pesquisador, que o ciclo de carbono também pode ser drasticamente alterado.
Com o calor, a tendência é que toda a matéria orgânica congelada no solo do Ártico libere o carbono para a atmosfera. "Toda a região que antes ficava coberta de gelo está sendo exposta dez dias antes do previsto e ficando sem gelo até nove dias depois do esperado", disse na conferência Matt Sturm, do Laboratório de Pesquisa e Engenharia de Regiões Frias do Exército dos EUA.
Segundo o especialista, essa alteração tem significados importantes para a tundra ártica, ecossistema formado por uma vegetação bastante rasteira, alimentada principalmente pela água do degelo.
"O que está ocorrendo é um aumento da quantidade de vegetação arbustiva na tundra, por causa do aquecimento", afirma Sturm. Segundo ele, além dessa mudança de vegetação, existe outra em andamento por motivo idêntico.
A probalidade de uma mesma área da floresta boreal queimar aumentou em mais de 30%, disse o especialista. O resultado dessas queimadas, e do aumento de matéria vegetal sobre toda a região ártica, também vai alterar o ciclo da carbono, segundo Sturm.
O pesquisador, por morar no Alasca, tem também outra preocupação. "Todas essas mudanças afetam o ecossistema, mas também alteram a vida das pessoas que moram no Ártico." Existem aproximadamente 4 milhões de pessoas que vivem na região hoje.

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2009

Frase do dia...

Estou andando todos os dias de bicicleta ,nessas minhas andanças encontrei o meu amigo Capitani e a sua esposa a Helena . Depois de pedir desculpas a eles por estar suado o Capitani saiu com essa: "Mais vale uma sudorese passageira do que um enfarto fulminante!".

terça-feira, 10 de fevereiro de 2009

Musicas...


Pra mim o melhor disco da banda, e uma das melhores musicas é The Unforgettable Fire (O Desejo Inesquecível)

Frase do dia...

De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver crescer as injustiças, de tanto ver agigantar-se os poderes nas mãos dos homens, o homem chega a desanimar-se da virtude, a rir-se da honra e a ter vergonha de ser honesto."( Rui Barbosa )

segunda-feira, 9 de fevereiro de 2009

Estudo associa uso frequente de maconha com câncer de testículo


Moçada, pessoal dos anos 60 e 70 ai vai um toque esperto!


Da BBC Brasil

O uso frequente ou em longo prazo de maconha pode dobrar os riscos de um usuário desenvolver câncer de testículo, segundo um estudo do Fred Hutchinson Cancer Research Center, nos Estados Unidos.O estudo, publicado na revista especializada "Cancer", entrevistou 369 pacientes de câncer de testículo e concluiu que o uso frequente da droga dobrava o risco de desenvolver a doença em comparação com os homens que nunca fumaram maconha.

O uso frequente da maconha dobra o risco de ter a doença em comparação com os homens que nunca fumaram maconhaOs resultados sugerem ainda que a maconha pode estar associada à forma mais agressiva deste câncer. Esse é o primeiro estudo a analisar, especificamente, a relação entre o uso de maconha e câncer de testículo. Tipo raroO câncer de testículo corresponde a 5% dos casos de tumores malignos entre os homens, segundo o Instituto Nacional do Câncer, e afeta entre 3 a 5 indivíduos a cada 100 mil. Ele é mais comum entre homens com idades entre 15 e 50 anos e tem alto índice de cura, principalmente se for diagnosticado no estágio inicial.A incidência na Europa e na América do Norte é bem mais alta do que em outras regiões do mundo, e vêm aumentando sem nenhuma razão aparente.Os fatores conhecidos da doença incluem ferimentos nos testículos, histórico familiar, ou a criptorquidia (testículo que não desce para a bolsa escrotal durante a infância).No estudo, foram entrevistados 369 homens, com idade entre 18 e 44 anos, que haviam sido diagnosticados com câncer de testículo. Eles responderam perguntas sobre seus hábitos de fumar maconha.Suas respostas foram comparadas às de cerca mil homens, aparentemente saudáveis. Mesmo depois de ajustar os números levando em consideração outros fatores, o uso da maconha permaneceu como um claro fator de risco para o câncer de testículo.O estudo indicou que fumar maconha aumenta em 70% o risco e que fumar maconha com frequência ou fumar desde a adolescência aumenta o risco em 100% em comparação com os que nunca fumaram.Também foi encontrada uma relação do uso da droga com o não-seminoma, um tipo mais agressivo de câncer testicular, que corresponde a cerca de 40% dos casos e tende a atingir os mais jovens.PuberdadeSegundo Janet Daling, uma das autoras do estudo, na puberdade os homens estariam mais vulneráveis a fatores ambientais, como a ação de substâncias químicas encontradas na maconha, por exemplo."Isso é consistente com a conclusão do estudo de maior risco do tipo de câncer testicular não-seminoma estar particularmente associado ao uso de maconha antes dos 18 anos", disse ela.Segundo Stephen Schwartz, que também participou do estudo, "o que os jovens devem saber é que, primeiro, sabemos pouco sobre as consequências do uso da maconha para a saúde a longo prazo, especialmente, do uso frequente, e segundo, nosso estudo traz alguma evidência de que o câncer de testículo pode ser uma dessas consequências".O próximo passo, diz ele, seria estudar mais a fundo as células nos testículos para verificar se alguma delas têm receptores para as substâncias encontradas na maconha.Segundo Henry Scowcroft do instituto Cancer Research UK, para que seja alcançada qualquer conclusão firme sobre a relação entre causa e efeito nos casos de câncer de testículo é preciso um estudo envolvendo um número muito maior de pacientes.

quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

DIA DE CÃO (O dia que sai de helicóptero e cheguei de 4X4.)


Todos que me conhecem sabem que sou um aficionado por helicópteros.Desde a primeira vez em que voei no ano de 92 até hoje já foram mais de 200 vôos, sempre bem sucedidos. Mas tudo na vida sempre tem uma primeira vez...
Hoje foi um dia perfeito para um vôo: céu azul, um dia depois de um dia de chuva, pouco vento.Seria um vôo de rotina para fazer fotos de um oleoduto que vai para o planalto paulista.O dia estava perfeito, a aeronave chegou - um Jet Ranger lindo, prata e azul - mas daí pra frente começou a “fechar o tempo”:O helicóptero alugado não tinha a opção de ter a porta tirada.Aí começaram os problemas.
Todos que fazem fotos aéreas sabem que a retirada de porta é essencial para a execução do trabalho, para o fotógrafo poder se localizar e para não perder a noção do “horizonte”, realizando assim um trabalho perfeito.
Bom, lá fui eu fotografar pela pequena janela, abaixado, desconfortável e ainda, para piorar as coisas, foi necessário voarmos em círculos para que eu pudesse fotografar pontos pré-determinados por todos os lados.
O resultado disso foi que na metade do caminho comecei a enjoar de tal maneira que foi impossível me controlar.Cheguei a pedir ao piloto para descermos em uma das estações de bombeamento.Assim eu poderia usar o banheiro, mas sendo um piloto responsável ele me disse que o lugar não era seguro o suficiente para realizarmos uma operação dessas,e então continuamos o vôo.Para meu desespero não pude agüentar e fui obrigado a enfiar a cabeça pela janelinha e colocar tudo pra fora.Quem conseguisse ver a aeronave naquele momento possivelmente pensaria que havia um vazamento no helicóptero! Tamanho do jato e a quantidade de matéria orgânica saindo pela lateral.
Como disse um grande amigo que trabalha no meio ambiente, o Marco, “essa é uma nova forma de colocação de adubo orgânico na Mata Atlântica”.
Não deu outra: o piloto foi obrigado (Graças a Deus!!!!) a pousar no cume de um morro na faixa de dutos.Saí do helicóptero e terminei o serviço: coloquei o restante do adubo na mata.
Suspirei, tomei um ar e achei que tudo estava resolvido... Mas que nada, logo na subida vi que a situação não mudara e o enjôo voltou com força total obrigando o piloto (um santo!) a pousar novamente!
Dessa vez o pessoal que realizava a manutenção em uma válvula estava na faixa.Eles tomaram um susto vendo a aeronave pousar e um cara saindo correndo pela mesma.
Pela segunda vez levantamos vôo e alguns minutos depois voilá; lá estava eu pedindo outro pouso.Dessa vez o piloto desceu exatamente onde estava o pessoal.Desta vez desisti de voar e pedi a eles que me levassem de volta, por terra.
Envergonhado, passando mal e sabendo que esse dia ficará pra sempre marcado, aprendi a lição: jamais pense que você consegue superar tudo, principalmente seu estômago.
Tchau e até a próxima! Vou até o banheiro!